Meu trabalho, meu amor!

Thai Massagem na Tailândia

Thai Massagem na Tailândia

Para aqueles que conto minha história de vida, da trajetória que fiz pelo mundo e como me descobri, dizem que devo tornar minha história pública, para levar inspiração de vida para pessoas que buscam por uma razão em suas vidas. Parte da minha trajetória, já foi contada no site do Nowmastê, mas como ainda estou no caminho, tem muita coisa ainda que talvez possa ajudar… Então, espero de coração que a minha história possa incentivar àqueles que buscam por uma luz, motivando e incentivando… acreditando que todos nós aqui viemos com uma missão, basta escutarmos a voz interior!

Boa Leitura!

Antes de começar, devo me apresentar e dizer resumidamente quem eu sou HOJE.

Bhandi Li Meu nome civil é Barbara Santos, mas atualmente, tenho me apresentado como Bhandi Li. O codinome Bhandi Li representa quem eu estou buscando ser e me tornar… O significado? Deixo guardado comigo, pois interessa apenas a mim o que ele representa e o quanto a energia que vibra com ele influencia minha vida. A intenção de ter um codinome veio quando tive a oportunidade de me conhecer melhor e saber mais sobre mim e minha missão aqui como Ser. Mas somente após estudar a Filosofia Chinesa e ganhar inspiração, é que finalmente passei a me apresentar como Bhandi Li.

Atualmente moro e estudo em Bangkok – Tailândia, onde faço meu Mestrado em Filosofia e Religião. Sou Professora de Thai Yoga Massagem, formada em 2012 na Tailândia, Professora de Yoga formada na Índia em 2013 e Terapeuta Holística. Mas antes disso tudo acontecer, acredite ou não, eu fui Analista Fiscal/Tributária. E aqui começa a história, de como a minha vida mudou da “água para o vinho”.

Aos 21 anos de idade, eu trabalhava numa Universidade em Curitiba/PR, no departamento de Contabilidade. Sempre fui uma profissional dedicada 100% ao meu trabalho, dando total importância a todos os problemas decorrentes na empresa, e esta preocupação toda me resultou uma Úlcera Nervosa. Ao receber o diagnóstico do médico, ele ficou impressionado e levei uma baita “bronca”. Ele disse que eu deveria curtir e viver mais a minha vida, viver momentos prazerosos e, brincando, sugeriu: – “Vá praticar Yoga e Meditação, você precisar focar mais em você”, caso contrário, vá buscar por algo que lhe dê prazer, qual é o seu hobby? ”

Na época, eu nunca tinha me interessado por esse tipo de prática, não tinha relações familiares ou muito menos de amizade que talvez me incentivasse a buscar pela “tal da meditação e Yoga”. Mas de alguma forma, aquilo me tocou, mas ficou guardado.

Resolvi aceitar os conselhos e dar atenção ao meu hobby: Massagem. A massagem está presente na minha vida desde muito jovem. Por volta dos 6 anos, eu comecei a aprender técnicas de massagem com minha babá (gratidão querida Lene), que além de ser babá, também era massagista. Com o passar dos anos, isso se tornou meu hobby, mas nunca imaginei em trabalhar ou largar minha “carreira profissional” para me dedicar às terapias corporais holísticas. Eu apenas gostava de fazer massagem… Então resolvi entrar num Curso de Massoterapia, como forma de aliviar a pressão do trabalho e para dar atenção à mim mesma, afinal, eu realmente gostava daquilo.

Quando as aulas começaram, eu fiquei imensamente feliz em poder aprender coisas que eu já sabia desde novinha e também por intuição. Durante as aulas do curso, eu comecei a sentir algo muito estranho, era uma felicidade indescritível. Eu contava as horas do dia para poder ir às aulas, um sentimento de quando a criança está feliz por poder fazer algo que gosta muito. As vezes passava na minha mente: “Barbara, largue tudo e vá trabalhar com massagem”. Mas com uma mente super racional, logo colocava-me “em meu lugar” de Tributarista, e dizia para mim mesma que eu estava ali apenas para ter uma pouco mais de paz e alegria.

Thai Yoga Massagem

Thai Yoga Massagem

Nesta mesma época, enquanto eu estudava massagem, recebi uma proposta de trabalho, para uma empresa Multinacional. Fiz todo o processo seletivo, dentre os 500 selecionados, fiquei entre os finalistas, mas não fui aprovada porque não falava inglês. Aquilo foi uma decepção… O grande sonho de trabalhar numa empresa Multinacional morreu porque eu não falava inglês. Senti algo do tipo: “perdi a oportunidade da minha vida”. Então decidi que era hora de mudar. Decidi que iria aprender inglês, mas fora do país, para que oportunidades como essa, não fossem mais perdidas.

Como eu tinha um bom cargo salarial, e alguns bens que fui comprando, a possibilidade de estudar a língua inglesa fora do país ficou mais fácil. Além de todo o apoio da minha família e de minha gerente que me incentivou muito para que eu pudesse alcançar isso (gratidão Marlene!). Vendi tudo o que eu tinha, e em 6 meses eu estava embarcando para a Austrália. Nesse tempo, eu estava a alguns dias de terminar minha formação como Massoterapeuta, faltando apenas 2 módulos. Mas foi inevitável, a vontade de mudar falou mais alto e eu cai na estrada, ou melhor, no avião!

Desde o período em que fui diagnosticada com Úlcera Nervosa até o momento de embarcar para a Austrália, o Universo conspirou em me ajudar… Parecia que tudo me direcionada para lá, tudo foi fluindo de tal maneira a encaixar as coisas… Eu contei um resumo do resumo, mas muitas situações foram me direcionando para este caminho. Ao mesmo tempo que fazia o curso de massoterapia, eu fazia terapia (Psicoterapia Reencarnacionista), para aliviar o stress… Isso me ajudou muito!!! Muito mesmo!

Na época em que me mudei para a Austrália, eu namorava um rapaz, que viajou comigo. Ele foi muito importante também, pois nós dois pudemos incentivar um ao outro. Ele tinha a mesma vontade que eu, mudar e morar no exterior, então fomos juntos. Era a minha primeira viagem internacional, e a segunda dentro de um avião! Uma loucura! Descoberta pós descoberta. Ao chegar na Austrália, tudo era impressionante, porque eu nunca tinha saído do Brasil. Os primeiros três dias foram os mais difíceis e mais legais, descobrindo tudo mas ao mesmo tempo, sofrendo com a língua – porque eu realmente não falava nada em inglês!

No quarto dia, me senti mais confiante, e resolvi que era hora de procurar emprego, afinal, todo o dinheiro que eu tinha, foi investido na viagem. Eu não podia contar com ajuda financeira de meus pais, então era hora de trabalhar… E com o quê? Claro, a Massagem!

Mais uma vez, o Universo conspirando e me ajudando! No primeiro dia que resolvi procurar emprego, eu consegui! Bati na porta de três lugares para deixar o currículo. Os dois primeiros me rejeitaram porque eu não era asiática…. e massagem na Austrália, SÓ com Asiático. O terceiro lugar ficava no único shopping da cidade, e lá trabalhavam chineses e japoneses. Pensei: “Aqui não vai dar certo também, mas não custa tentar, o ‘não’ eu já tenho, vou buscar pelo ‘sim’”. Entrei no local com meu currículo na mão e com uma frase pronta em inglês (precisei decorar essa frase rs). Meu namorado na época foi comigo, querido, ficou esperando fora do local, se caso eu precisasse de ajuda. No final, não precisei falar nada de inglês, apenas fiz uma sessão de Shiatsu no dono do local, e PRONTO! Emprego garantido!

Minha primeira experiência trabalhando como massagista! Meu racional dizia: “quem diria hein Bárbara!”. Pois é, quem diria mesmo, se fosse no Brasil, eu jamais largaria minha profissão para trabalhar como massagista. Mas eu realmente estava amando tudo! Acho que estava aprendendo o conceito de “ser feliz no trabalho”.

IMG_0100

Keturah Day Spa

O tempo foi passando, e cada dia eu amava mais o meu trabalho. Acabei descobrindo que eu tinha nascido para aquilo. As oportunidades foram se abrindo e novos horizontes também. Cheguei a trabalhar num dos melhores SPA’s da Austrália – Keturah Day Spa. Fiz massagem em celebridades Australianas, dentre elas, a mulher mais rica da Austrália na época – Rhonda Wyllie. E sempre muito bem elogiada.

Quanto mais eu me identificava com a “nova profissão”, mais eu tinha sede de conhecimento. Foi quando uma voz em minha mente, disse: “Você precisa ir à Tailândia”.

Fazendo um parêntese aqui: Realmente uma voz falou comigo, podem me chamar de louca se quiserem, mas realmente foi forte! Eu fiquei duvidosa no início… Mas aquela voz era muito clara! Na época, eu estava organizando uma viagem de volta ao Brasil com meu namorado. Íamos visitar a família e amigos. Mas aquela voz, mexeu comigo. Pesquisei sobre a Tailândia, e descobri a Thai Yoga Massagem. Tudo começou a fazer sentido e ficar mais claro. Eu tinha que estudar aquela técnica. Decidi que não iria mais ao Brasil, ao invés de visitar a família, eu ia buscar por mais conhecimento, matar a sede que me dominava, e calar o racional que ainda brigava comigo porque eu tinha virado “massagista”. Meu namorado não me apoiou, por esta razão e outras, resolvemos nos separar. Foi triste, mas importante para mim.

 

Minha segunda experiência em um país novo, a Tailândia! Nossa! Que país! Que cultura! Que gratidão! O curso teve duração de 4 semanas – Advanced in Thai Massage. Foi fantástico! Eu tinha me apaixonado não só pelo país, mas também pela técnica. Tive contato com budistas, com a filosofia budista, com a pureza das coisas. A sede de conhecimento aumentou, eu precisava saber mais, aprender mais, buscar novos horizontes. O meu racional não me julgava mais, tudo na minha mente estava calmo e confortável, eu tinha me descoberto! Eu estava em PAZ.

Entrei num templo, e fiz uma oração. Pedi que os Cosmos me ajudassem, iluminassem meu caminho, e que se realmente essa fosse a minha missão, que essa força Universal me ajudasse, porque nada mais eu queria a não ser me entregar de corpo e alma para este novo mundo.

Já havia passado um ano de vivências na Austrália, eu já era fluente em inglês…. Minha missão em aprender a língua inglesa já havia sido concluída… Então, era hora de me dedicar a essa nova profissão e esse novo estilo de vida… Decidi que iria estudar a fundo as terapias manuais e tudo o que fosse relacionado a ela, e retornar ao Brasil. Sentia que eu tinha uma missão de levar todo esse aprendizado comigo.

Quando retornei para Austrália, minhas reservas financeiras tinham sido esgotadas, e eu tinha apenas 4 meses de visto. E tinha duas opções: trabalhar e renovar meu visto para ficar na Austrália, ou trabalhar durante esses meses e deixar de vez a Austrália para me aprofundar em meus estudos na Tailândia e então voltar para o Brasil.

Optei para segunda opção é claro! Aqueles me acompanharam sabem como foi difícil, eu trabalhei em cinco lugares, todos os dias e todas as noites. Mas eu tinha certeza que todo o esforço valeria apena! E no curto prazo que eu tinha, consegui juntar o dinheiro necessário para financiar meus estudos na Tailândia.

Prof. Barbara SantosRetornei à Tailândia, mas dessa vez, para fazer o Curso de Formação de Professores em Thai Yoga Massagem. Foram três meses intensos de aprendizado, não apenas da técnica, mas também da filosofia! Foi sensacional! Eu estava completa e muito feliz!

A sede de conhecimento aumentou, e como a Thai Massagem é baseada na Filosofia da Yoga, resolvi que eu deveria também estudar Yoga, e na Índia! Queria também aprender Ayurveda e me conectar mais comigo mesma…. Quanto mais aprendia, mais eu me satisfazia.

Então, depois de concluir meu curso de formação na Tailândia, cai na estrada. Tive a felicidade de ter uma parceira de viagem comigo, uma grande amiga (gratidão Magda!), que dividiu comigo momentos de descobertas. Viajamos alguns países da Ásia… descobrindo e desbravando novas culturas. E então, seguimos para a Índia.

Chegamos na Índia. Nossa primeira atividade, foi participar de um retiro de meditação – Vipassana (Método Goenka). Foram 10 dias em completo silêncio, seguindo as práticas meditativas que iniciavam as 4am e terminavam as 9pm. Puros dias de interiorização. Os conselhos de praticar meditação pelo meu médico, e depois pelas sessões de terapia que fiz no Brasil, agora faziam sentido. Não existem palavras para descrever a experiência que vivi. Pude sentir o Amor Universal, e me sentir completa de gratidão a tudo e a todos que me ajudaram a chegar até ali.

Depois dessa experiência maravilhosa, seguimos viajando pela Índia, um país que proporciona uma explosão de sentimentos e experiências. Passei os piores momentos da minha vida lá, mas também os melhores…. Sentimento de amor e ódio caminham de mãos dadas.

Rio Gangues

Ao chegar em Rishikeshi, (onde fiz minha formação em Yoga e Ayurveda), tive a oportunidade de sentir a força e a energia de uma cidade sagrada, à beira do Ganges. Com sua cor verde esmeralda e suas águas geladas do Himalaia, mergulhei no Gangues e agradeci pela minha vida, e por toda a oportunidade que o Universo me proporcionou. Lá eu estudei Yoga e Ayurveda. Também meditei muito e me conectei ainda mais em minha essência! Participei de alguns satsangs, conheci pessoas e fiz muitos amigos (Prisicila querida, gratidão por compartilhar momentos de luz). E toda a trajetória da minha vida passou a fazer sentido. O sentimento que eu tinha era apenas de gratidão! Me sentia pronta para voltar ao Brasil, e com a missão de disseminar tudo o que eu tinha aprendido.

Thai-massage-group-2

Com meus alunos em SP

Após quase 3 anos longe do Brasil, e 9 meses viajando e mergulhando em aprendizado e descobertas pela Ásia, em 2013 cheguei ao Brasil. Minha felicidade foi concretizada com a fundação do Espaço Nibbana, que hoje representa meu trabalho no Brasil. Trabalhei 2 anos como Terapeuta Holística e Professora de Thai Yoga Massagem, levando meu conhecimento para àqueles que sentissem o chamado. Não apenas em Curitiba, mas em diversas cidades do Brasil.

No Brasil, fiz formações em diversas terapias também, uma delas, a Psicoterapia Reencarnacionista, a terapia que me ajudou quando descobri o nível de stress que eu estava antes de me mudar à Austrália.

Cada experiência que passei nesse trajeto, cada formação, cada curso, cada conversa e diálogos com diversas pessoas do mundo fizeram com que eu começasse a questionar coisas, buscar por respostas, encontrar conexões entre um pensamento e outro, uma metodologia e outra… Até que então, ouvi novamente aquela voz interior (que hoje a identifico como um Mestre Espiritual), me conduzindo para um novo mundo… a FILOSOFIA!

Passados 2 anos morando no Brasil, novamente, a mudança radical veio. Fechei as portas da linda casa que abrigava o Espaço Nibbana em Curitiba, e acreditando nesta voz intuitiva, em dezembro de 2014 retornei a Tailândia. Mas desta vez, para fazer o Mestrado em Filosofia e Religião, que tem me conduzindo a aprender diferentes pensamentos, e encontrar as respostas para meus questionamentos…. Mais uma vez, encontrei a PAZ, e sigo caminhando em minha trajetória de busca por conhecimento.

E neste local virtual, compartilho tudo aquilo que descubro e estudo, com intuito de continuar compartilhando os aprendizados pela minha experiência de vida. A Thai Massagem e a Yoga se mantém fortemente comigo. Todos os dias me conecto com elas. Minha tese de mestrado está sendo escrita sobre a Filosofia por trás da Thai Massagem, que traz todo o conhecimento da Yoga. A cada estudo, descubro que todas as formas de pensamento humano, estão conectadas. E assim, sigo meu fluxo…. Aprendendo e compartilhando.

Minha sugestão àqueles que buscam por motivação: Acredite em você! Acredite em sua intuição, aprenda a ouvir seus desejos, suas vontades. Não duvide, cada pensamento duvidoso impactará sua trajetória, apenas se conduza sobre o trilho, e deixe que o resto o Universo faz. O problema é financeiro? O meu também era! E mesmo assim eu acreditei que eu conseguiria. Não duvide de sua capacidade. E o mais o importante, existe uma diferença grande entre trabalhar por dinheiro e trabalhar por amor! Quem trabalhar por amor, o dinheiro é consequência e não resultado!

Paz e Luz em todos!

Namastê

Bhandi Li

Anúncios

7 pensamentos sobre “Meu trabalho, meu amor!

  1. Boa noite achei interessante a matéria divulgada sobre o curso de Thai massage na Tailândia e gostaria de saber mais informações em relação a valores do curso desde já agradeço e aguardando seu retorno…obrigada!!
    Cristina Tiyomi formação em estética e formação em massoterapia.

    Curtir

  2. Bhandi Li! Que inspirador!!!! S2
    Muita gratidao por isso.

    Me vi na sua historia. Sai do meu emprego no mercado financeiro, sai america do sul afora numa jornada de auto-conhecimento que esta sendo linda e nao tem fim… Fiz a alguns meses um curso intensivo de thai massage no Peru, mas a sede pelo saber so aumenta, a grana è curta, nao estou trabalhando ainda. Estou naquele limiar de me sentir confiante para trabalhar pq o curso foi mt curto, de 10 horas…
    Estou voltando para “casa” no rio de janeiro essa semana com planos de seguir praticando pra de alguma forma me manter financeiramente e em algum momento poder ir pro ITM.

    Vou salvar a sua historia para ler sempre nos momentos de desanimo. Pq sei que podem vir.
    Nos vemos!

    Muito luz, beijos

    Curtir

    • Oi Narasimha! Fico muito feliz pelo seu comentário e por saber que compartilhamos da mesma história. Perceba-se e acredite na sua trajetória. A adaptação é difícil, mas a gente consegue! Quando fazemos o que viemos para fazer de verdade, tudo dá certo! Parabéns pela transição e bem vindo! Abraço fraterno desde a Tailândia!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s