A Filosofia NÃO está morta

Este é um assunto que veio à tona logo após a publicação do livro The Grand Design (Gradiva) de Stephen Hawking e Leonard Mlodinow em 2010. No livro, Hawking sentencia que a filosofia ficou obsoleta, com a seguinte passagem:

The Grand DesignVivendo neste vasto mundo, que às vezes é amável e às vezes cruel, e contemplando a imensidão do firmamento em cima de nós, fazemos sempre um monte de perguntas. Como podemos compreender o mundo no qual vivemos? Como se comporta o universo? Qual é a natureza da realidade? De onde vem tudo o que nos rodeia? O Universo precisou mesmo de um Criador? A maioria de nós não passa a maior parte de seu tempo preocupando por essas questões, mas quase todos nos preocupamos por elas em algum instante de nossa vida.

Tradicionalmente, essas são questões para a filosofia, mas a filosofia morreu. A filosofia não se manteve a par dos desenvolvimentos modernos da ciência, em particular da física. Os cientistas converteram-se nos portadores da tocha da descoberta em nossa busca de conhecimentos”.

Durante milhares de anos a Filosofia foi a disciplina mais importante na história da Humanidade. Uma disciplina de primeira instância, fazendo-se necessária no currículo de muitas formações. Graças aos grandes filósofos, a ciência nasceu, se desenvolveu e cresceu…. Porém agora, cientistas descartam a necessidade de filosofar e se mantém focados em descobrir novos conhecimentos.

Neste sentido, estou me referindo à Filosofia Ocidental, àquela nascida na antiga Grécia por Thales de Miletos (aprox. 600 a.C), e que foi seguida por grandes pensadores, questionadores e argumentadores como Sócrates, Platão, Aristóteles, Descartes, Espinoza e assim por diante. Esta filosofia, nascida na antiga Grécia é muito peculiar a sua forma de filosofar, com foco em questionar tudo, até mesmo aquilo que é inquestionável. Diferente da Filosofia Oriental, criada na antiga Pérsia, Índia e China…. O qual o foco principal não era questionar, mas sim compreender, entender e aceitar. Portanto, existe uma grande diferença a Filosofia Ocidental e Oriental, mas este será um assunto que irei abordar em uma outra publicação.

Stephen-Hawking-teoria-de-tudo-crítica-cinema

Stephen Hawking

O que quero expressar neste post é a minha compreensão e entendimento sobre a “sentença de morte” concedida por Stephen Hawking à Filosofia. Admiro o seu trabalho e a forma de se expressar seus métodos científicos. Não o julgo por pensar desta forma, mas defendo a ideia de que a Filosofia não morreu, ela apenas migrou de uma disciplina de primeira instância, para uma disciplina de segunda ordem.

Como dito anteriormente, a Filosofia foi uma disciplina fundamental para a descoberta da ciência, para os avanços tecnológicos, para a busca do conhecimento… E agora, depois de ter nascido uma nova forma de “pensar, analisar, avaliar e estudar”, a ciência simplesmente ignora a importância de filosofar. Quando Hawking diz que “a filosofia não se manteve a par dos desenvolvimentos modernos da ciência”, digo que ela esteve sim, presente em todos os momentos. Um cientista jamais deixará de ser um filósofo, pois se seguirmos a metodologia ocidental de filosofar, uma vez que uma dúvida, um questionamento a respeito da vida, da criação, da realidade, da natureza e assim por diante, aparece, ele precisa “pensar, analisar, avaliar e estudar”, e isso é filosofia. Portanto, a filosofia não está mais à frente das grandes questões, ela está por trás delas, ela é uma disciplina de segunda ordem, ou seja, ela vem após as disciplinas científicas.

Para entender melhor meu pensamento sobre disciplina de segunda ordem, vou usar como referência os autores Moreland e Lane Craig do livro Philosophical Foundations for a Christian Worldview:

Por exemplo, Biologia é uma disciplina de primeira ordem que estuda organismos vivos, mas Filosofia é uma disciplina de segunda ordem que estuda a Biologia. Em geral, é possível ter a filosofia de “x” onde “x” pode ser qualquer disciplina. Filósofos examinam outras disciplinas para formular uma filosofia daquele campo, eles elaboram perguntas normativas sobre a disciplina (por exemplo citações sobre o que se deve e não deve acreditar e porquê), analisam e criticam os pressupostos que lhe são subjacentes, clarificam os conceitos que estão incorporados ao assunto e integram a disciplina em questão com outros campos e áreas”.

Philosophy is not deadPortanto, a Filosofia não morreu, ela apenas está por trás de todas as outras disciplinas, incluindo principalmente a Ciência. Aparentemente está escondida, pois um Filósofo não chega a se infiltrar nos campos da ciência, porém, a presença da metodologia filosófica está contida em todas as disciplinas. Uma vez que o cientista se questiona sobre sua descoberta, a filosofia aparece para integrar e trazer o conhecimento interligando a outras áreas de estudo. Como diz Descartes “penso, logo existo”, eu parafraseio: “pensamos, logo filosofamos”.

 

Referências:
Hawking, Stephen; Mlodinow Leonard. 2010. The Grant Design. Bantam Books
Moreland, J.P.; Lane Craig, William. 2001. Philosophical Foundations for a Christian Worldview. Downers Grove: InterVarsity Press.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s